terça-feira, agosto 24, 2010

Tenho sede


Sede do teu néctar
Que bebo do teu olhar
Me alimenta a alma
Vicia-me sem me saciar

Sede da tua energia
Obtida no teu regaço
Envolvida num cheiro a maresia
Que me liberta o cansaço

Sede da tua paz
Obtida nos teus abraços
Nada mais me apraz
Que me abandonar em teus braços

Sede da tua magia
Em que sonhar é real
Transportas-me noite e dia
Para um Mundo ideal

Sede de tu meu amor
Que me preenches e completas
Que fazer a tanta sede?
Beber…beber…beber-TE!