sexta-feira, janeiro 04, 2008

Amanhecer quase

Há esse momento indefinido
Em que os nós da noite se rompem
O mistério insinua-se pelas veredas silenciosas
Os caminhos os areais silenciosos
Alguem caminha pela noite fora
Desperta as morosas sentinelas da manhã
Inventa a magia o santo e senha
Que desfaz o segredo da noite

Como num caderno a estrear
Límpido como todos os começos
Tudo começa a escrever-se de novo
O amanhecer irrompe do avesso da noite

2 Comments:

Blogger Presença said...

Numa esperança que se rompe as cadeias viciadas...

límpido... de desejo intimo!

bjo carinhoso

1/11/2008 6:02 da tarde  
Blogger keila, a Loba said...

Inspirador... Bela composição, por isso deixo aqui um Uivooooooo da mais absoluta contemplação.

1/11/2008 6:46 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home