domingo, setembro 30, 2007

A magia das palavras


Há alguns dias vi um filme e houve uma frase que me chamou a atenção. Não a vou enquadrar, porque ela fala por si só, e era algo deste género:

“Sr. Padre. Prefiro que um bêbedo lá na minha taverna apalpe o cu à minha sobrinha, do que este homem que lhe diz que tem um sorriso que se estende como uma borboleta!”

quarta-feira, setembro 26, 2007

Sem ofensa

Cansei da blogosfera. Mas gosto do meu canto, onde venho quando sinto vontade disso sem qualquer tipo de obrigação. Assim, peço desculpa por não retribuir quem me visita e a ausência de resposta aos comentários que, como é óbvio, me sabem bem.
Mas não escrevo à espera que me visitem e não visito à espera que retribuam. Mas isso sou eu. Apesar de não dever nada a ninguém fica aqui o meu pedido de desculpas. Porque nas coisas mais simples, sem darmos por ela, passamos a fazer parte de um “bolo”, em que alguns ingredientes não são de todo os nossos!...

segunda-feira, setembro 24, 2007

Magia


O ser humano a maior parte das vezes não quer ver o que os olhos enxergam a kms de distância e o coração sente ainda que mergulhado na profundeza dos oceanos. Refugia-se em apelos e pedidos de compreensão, pede afectos, atenção, tempo, espaço, gestos...perdoa quando “perdão” é um vocábulo que não faz sentido em nenhum tipo de relação que se diz verdadeira. Quando o dito Sentimento, aquele que se escreve com letra maiúscula impera, não há lugar a perdão porque não há lugar a pecado. Quando Ele existe para além do que os olhos podem ver e do que a razão pode comandar, nada se pede, nada se perdoa, nada se cobra, nada se exige...SIMPLESMENTE SE DÁ, porque a verdadeira magia do Dito é essa mesma!

segunda-feira, setembro 17, 2007

Provérbio chinês

"A árvore quando está sendo cortada, observa com tristeza que o cabo do machado é de madeira."

segunda-feira, setembro 10, 2007

Única

Ainda sinto o vazio da tua ausência...

Tenho vindo a escalar uma montanha. Encontro-me no topo. Grito bem alto: Liberdade! Olho à minha volta. Não estás. A ÚNICA que receberia o eco de braços abertos como se da sua própria liberdade se tratasse.

Desculpa a minha ausência...

Deixo-te esta melodia...obrigada...

quinta-feira, setembro 06, 2007

Regresso


É chegada a altura do regresso. Para muitos o regresso ao trabalho, para outros o regresso às aulas, para outros o regresso simplesmente. Há quem não regresse e parta definitivamente. É o que de bonito tem a vida. Não estagna. E é feita de partidas e regressos. Eu gosto de partir...gosto de regressar...gosto de partir...gosto de regressar...gosto dos trilhos que percorro...dos cruzamentos que atravesso...dos caminhos que não sei pisar...das estradas que desconheço...das ruas que me levam...dos becos que me aconchegam...dos nós que me emaranham...gosto...sim, gosto.

Regresso simplesmente!