terça-feira, outubro 10, 2006

Momentos


Hoje passei por ti
Não me viste
Caminhavas solta
Como a brisa da manhã

Cruzámo-nos
Foi quanto bastou
Para que fosse invadida
Por um brilho que não se esgotou

Batidas descompassadas
Ecoavam no vazio
De um apelo sedento
Duma cadela no cio

Hoje passaste por mim
Não me viste
Mas por certo
Me sentiste

8 Comments:

Blogger Licínia Quitério said...

Sentir também é ver. Viram-se, seguramente.
Beijos.

10/10/2006 10:41 da manhã  
Blogger frog said...

Sentiu-te de certeza... e sentir é muito melhor que ver!...

Belissimo poema!


Um beijo...

10/10/2006 2:47 da tarde  
Blogger Armando said...

Andava em atraso na leitura dos teus posts!! (atarefado pelo fim de semana anormal) Mas... valeu bem a pêna vir cá hoje... gostei do que li e em especial gostei deste... muito bonito!! Mas saio confuso com o que quererias dizer "...duma cadela no cio" (sorrisos)

10/10/2006 7:26 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Como ela anda inspirada...lindo, beijinhos, Léo

10/11/2006 12:38 da tarde  
Blogger karla said...

não é preciso ver para se sentir, não é? vemos mais do k c os olhos... o coração tb vê, de maneira diferente...

beijinhos

10/11/2006 12:56 da tarde  
Blogger mar_e_sol said...

licínia quitério, claro que sim...:)

frog, se é...:))

armando, nem eu sei...;)

Léo, tem dias assim...:)

karla, e ainda diz o ditado: "olhos que não vêem, coração que não sente"...bahhh...
balelas...;)

10/12/2006 12:01 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Que lindo!!
Adorei mesmo.
Levei comigo, importas-te?

Um beijo,

fatima

10/13/2006 12:16 da manhã  
Blogger mar_e_sol said...

fatima, claro que não :)

10/13/2006 7:21 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home