terça-feira, março 21, 2006

O circo...

O circo foi algo que sempre me fascinou. Confesso que as vezes que fui ao circo enquanto criança não foram muitas. Mas vibrei das poucas vezes que me foi proporcionado assistir àquele espectáculo. Hoje, revivo todas essas emoções ao levar os meus filhos. Admiro aquelas pessoas que se entregam ao que lhes dá prazer na vida e acredito que neste caso é bem verdade – amor à profissão. Desde os acrobatas, passando pelos malabaristas, os domadores, os ilusionistas…mas sempre detestei os palhaços. Era a parte mais seca do circo. As caras sempre pintadas da mesma forma, o palhaço rico e o palhaço pobre, as mesmas piadas: “Boa noite minhas senhoras e cangalheiros!...” O papel que sempre achei mais fácil de ser desempenhado – só precisavam de dizer meia dúzia de bacoradas, pintarem-se, vestirem aqueles fatos hediondos e “voilá”, está feito…
Hoje, admiro os palhaços. Por trás de uma máscara existe uma pessoa. Independentemente do seu estado de espírito está ali para fazer rir. Quando assisto ao número dos palhaços, confesso que não me prendo propriamente com o que nos é apresentado mas com o que se encontra para além do que nos é apresentado. Tento vislumbrar o ser humano escondido no meio daqueles trapos e perceber se está ou não feliz naquele dia. Mas é muito difícil…se pensarmos que no dia a dia falamos com tanta gente que tem um rosto desmaquilhado, uma voz no seu timbre normal, veste uns trapos que até lhe ficam bem, nos cruzamos com elas e perguntamos: “Então tudo bem?” ao que respondem: “Sim, tudo óptimo.” E nós retorquimos: “Excelente!...”…não fazemos mais do que um “número de palhaços” com perguntas e respostas programadas, e sem qualquer significado relativamente ao que representam. Só com uma diferença…não temos que fazer rir, mas temos que sorrir.
Sim, hoje admiro os palhaços!...

1 Comments:

Blogger Arion said...

Em miúdo, tinha medo dos palhaços. Hoje, continuo a não gostar de palhaços de circo. Talvez por ser eu próprio palhaço de serviço onde quer que me movimente. Mas tudo cansa, e até eu, vou perdendo a máscara... Beijo!

3/22/2006 7:48 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home